Hora 7 Comunidade gastará R$ 15 milhões para impedir invasão de caranguejos 'agressivos'

Comunidade gastará R$ 15 milhões para impedir invasão de caranguejos 'agressivos'

Plano emergencial do governo da Itália tenta salvar produtores de moluscos, que são devorados pelos animais invasores

  • Hora 7 | Do R7, com Reuters

Resumindo a Notícia
  • Caranguejos invasores estão ameaçando a produção de moluscos da Itália.

  • Os animais se reproduzem rapidamente e já devoraram a produção do ano que vem.

  • Pescá-los é caro e não está surtindo efeito, apontam cooperativas.

  • Para contornar o problema, o governo liberará cerca de 2,9 milhões de euros.

O governo da Itália aprovou um financiamento de emergência de 2,9 milhões de euros (R$ 15,7 milhões, no câmbio atual) para tentar conter a invasão de caranguejos-azuis em regiões que produzem frutos do mar.

O objetivo é impedir que os crustáceos (da espécie Calinectes sapidus), conhecidos pela esperteza e pela velocidade de reprodução, não ameacem a produção de amêijoas-redondas, um molusco considerado iguaria e presente em diversos pratos importantes da culinária do país.

Esses caranguejos devoram tudo que encontram pela frente

Esses caranguejos devoram tudo que encontram pela frente

Fishermen's Cooperative Of Polesine/Handout via REUTERS

A espécie é endêmica, principalmente nos Estados Unidos, mas se espalhou rapidamente nas imediações do rio Pó, no norte da Itália — levada há cerca de uma década, nas águas de descarte dentro de porões de navios.

A situação está quase fora do controle, segundo produtores e pesquisadores italianos.

"As nossas aquiculturas estão devastadas. A predação por esses caranguejos continua em grande escala. Todos os juvenis que precisaríamos para o próximo ano foram praticamente destruídos", disse Emanuele Rossetti, biólogo de uma das maiores cooperativas de pesca da Itália.

A voracidade dos caranguejos afeta até mesmo os moluscos adultos, quase igualmente devorados pelos predadores.

"Até os espécimes adultos, que devíamos ter vendido agora no verão e em dezembro, foram em grande parte perdidos. Corremos o risco de perder nossos negócios, corremos o risco de fechar e perder 1.500 empregos", completa Emanuele, que descreve a espécie como "particularmente agressiva".

Lidar com a espécie invasora não é nada simples e tem sido um desafio. É relativamente difícil pescá-los, o valor de venda não é alto, e descartá-los para evitar que se reproduzam também tem um custo.

Para tentar lidar com o problema, que ameaça toda uma indústria da região, o governo resolveu liberar milhões de euros e também incentiva os pescadores a capturar o máximo de caranguejos que conseguirem.

Mudanças climáticas

Uma das suspeitas é que o aumento do número deles possa estar ligado a mudanças climáticas.

Segundo biólogos, o ciclo de reprodução do animal não é afetado pelo aumento de temperatura, ao contrário de várias outras espécies. Isso facilita o crescimento populacional e o avanço em outras regiões do país.

Ainda não está claro como autoridades e cooperativas usarão o dinheiro para lidar com os caranguejos.

Churrasco em família atrai horda de caranguejos gigantes e famintos

Últimas