Hora 7 Para driblar algoritmos, influenciadores transmitem ao vivo debaixo de pontes de bairros ricos

Para driblar algoritmos, influenciadores transmitem ao vivo debaixo de pontes de bairros ricos

Caso foi revelado por youtuber chinesa, que afirma que a ideia é 'jogar' com restrições de geolocalização de redes sociais

  • Hora 7 | Do R7

Resumindo a Notícia
  • Imagens de influenciadores que transmitem debaixo de pontes viralizaram em redes sociais

  • Segundo youtuber, eles estão driblando algoritmos de geolocalização durante a transmissão

  • A ideia é conseguir assinantes e doações de pessoas com mais dinheiro

  • Apesar do caráter distópico da atividade, ela afirma que todos se divertem ali

Quem disse que carreira de influenciador é fácil?

Quem disse que carreira de influenciador é fácil?

Reprodução/Twitter/Nami Wu

Uma nova categoria de influenciadores nômades se estabelece na China. Imagens que viralizaram em várias redes sociais mostram influenciadores profissionais que transmitem ao vivo debaixo de pontes e outros locais inusitados de bairros ricos de grandes metrópoles do país, para tentar burlar algoritmos de redes sociais.

A lógica para todo esse esforço é simples de entender: como muitas redes usam geolocalização para distribuir conteúdo, eles vão até bairros mais ricos e transmitem de lá, na tentativa de receber maiores doações e assinaturas de pessoas com mais dinheiro.

Esse jogo de gato e rato entre streamers e algoritmos foi revelado pela youtuber chinesa Naomi Wu, que fez uma longa thread no Twitter com casos do tipo. Não parece tão diferente do famoso caso da ponte dos influenciadores, também no país.

Imediatamente, o vídeo publicado na rede social viralizou também no Reddit, no qual recebeu 61 mil votos positivos.

Segundo ela, a maioria dos streamers — boa parte mulheres, segundo as fotos — possui empregos diurnos e usa as atividades como complemento de renda.

A atividade não é considerada insegura, como pode pensar qualquer brasileiro ao ver dezenas de jovens com equipamentos caros no meio da rua à noite.

A quantidade massiva de transmissões ao vivo acaba por dissuadir qualquer criminoso de agir nas imediações, enquanto a polícia não considera ilegal permanecer em via pública. "Eles não vão prendê-los ou algo assim", afirma o tuíte.

Apesar do caráter distópico da estranha atividade, comparada a certas passagens da literatura cyberpunk, Naomi diz que participar das transmissões é divertido, inclusive para ela.

"É uma divertida atividade em grupo para quem se reúne à noite ou nos fins de semana. Talvez você seja um operário de fábrica ou recepcionista, mas à noite você é uma microcelebridade", afirma ela na rede social.

LEIA ABAIXO: Influenciadores acham lago perfeito para fotos, mas era depósito tóxico

Últimas