Policial chapado de LSD invade reunião pra salvar golfinho humano de incêndio imaginário

  • Hora 7
  • Do R7
Golfinho humano ficou revoltado: "atrás desta máscara, há uma ideia e ideias são a prova de balas
"
Golfinho humano ficou revoltado: "atrás desta máscara, há uma ideia e ideias são a prova de balas " Reprodução/CNN

Tom Downey, de 41 anos, é oficial de polícia em Phoenix, no estado norte-americano do Arizona e vai se lembrar para sempre do último fim de semana de outubro  de 2016.

Isso porque foi neste último fim de semana de outubro de 2016 que ele, chapado de LSD, invadiu uma reunião de jovens que tentavam se livrar dos malefícios da masturbação compulsiva, em meio aos perplexos rapazes, tentava salvar o mascote da organização — um humano vestido de golfinho — de um incêndio.

Dois detalhes que fazem com que a história seja ainda mais fabulosa: o incêndio só existia na cabeça do policial doidão e, como ninguém é perfeito, ele estava completamente pelado.

O problema de você ser policial e se meter numa lambança dessas é que, quando as pessoas chamam a polícia, na real, elas estão chamando seus colegas de trabalho.

Então, quando os colegas de trabalho de Downey o encontraram, ele ainda estava pelado, mas corria em círculos, perseguindo o sujeito fantasiado de golfinho.

A situação só foi resolvida quando os policiais instruíram o golfinho humano a se render, o que acalmou Downey por tempo o bastante pra que ele fosse algemado e levado sob custódia.

O golfinho humano, conhecido como Fappy — O Golfinho Anti-Masturbação, é um cara de 37 anos chamado Paul Horner e, em entrevista para CNN, apresentou sua versão dos fatos.

— Este homem atrvessou uma janela de vidro que dava pra sala onde estávamos reunidos e começou a correr pra todo lado gritando 'fogo'. Foi aí que ele olhou pra mim e me disse que golfinhos não deviam estar fora d'água e que eu ia pegar fogo se não voltasse imediatamente para o oceano.

Downey foi acusado de invasão criminosa, resistência a prisão, agressão, intoxicação em lugar público e sua fiança foi afixada em cerca de R$ 80 mil.

Além de ser suspenso, Downey pode ser demitido e — como não é a primeira vez que ele tem problemas com drogas — pode passar um longo período observando musgo crescer entre as rachaduras do piso da cadeia.