Análise CBLoL 2017: PaiN Gaming e Red Canids

A tentativa de redenção da PaiN e a surpresa da matilha

Salve galera! Hoje nós falaremos um pouco sobre mais duas equipes: a PaiN Gaming e a Red Canids! Bora lá?

PaiN Gaming: a volta por cima vem (?)

Kami é um dos principais nomes do cenário brasileiro
Kami é um dos principais nomes do cenário brasileiro Reprodução/YouTube

A PaiN passou por maus bocados em 2016. Na temporada de 2015, a PaiN foi bicampeã e representou o Brasil no Worlds, mundial de lolzinho, que aconteceu na Europa. Todos sabemos que não tem como competir com as equipes européias e orientais. Mesmo assim, a equipe conseguiu duas vitórias em cima de equipes respeitáveis no cenário competitivo: a Flash Wolves e a Counter Logic Gaming. Até o mundial do ano passado, a equipe brasileira tinha conseguido o melhor resultado até então para uma equipe vinda do Wild Card. O time era o melhor do brasil, sem comparação. O atirador, brTT (falaremos dele no próximo tópico), jogou demais no mundial, mas esse resultado já era esperado. A base da equipe vem jogando junta tem um tempo e já contam com um ótimo entrosamento. Na temporada inteira de 2016, a PaiN não empolgou. Eles conseguiram a classificação para os playoffs do primeiro split, mas quase foram rebaixados para o Circuito Desafiante no segundo.

O jogador da rota do meio Kami é um dos melhores do cenário brasileiro. Não tem como colocar o meio como a principal estrela do time, já que o topo Mylon e o caçador SirT são igualmente decisivos. Com a saída de brTT, Matsukaze vai assumir a posição de atirador da equipe. O suporte Loop é considerado um dos jogadores brasileiros com mais conhecimento do jogo e, somado com a habilidade de Kami e do caçador SirT, podem levar a PaiN de volta aos holofotes.

A PaiN chega forte para a disputa do primeiro split de 2017. Eles vão brigar pela vaga para o Mid Season Invitational Wild Card.

Escalação: Mylon (topo), SirT (caçador), Kami (meio), Matsukaze (atirador), Loop (suporte) e MiT (técnico).

Red Canids: a matilha vai latir. Mas será que morderá?

A Red vai botar os adversários pra "rexpeitar". Lembrando sempre: o brTT é macaco velho, Professor!
A Red vai botar os adversários pra "rexpeitar". Lembrando sempre: o brTT é macaco velho, Professor! Reprodução/Riot

A maior surpresa desse primeiro split, com certeza, é a Red Canids. Eles formaram uma equipe muito forte, com nomes conhecidos e com experiência no cenário brasileiro. A  Red apostou na dupla brTT e Dioud, que já jogou junto na PaiN e levaram a equipe para o mundial. Além dos dois, o meio Tockers, saído da INTZ chegou para somar mais qualidade ainda à matilha. Vamos combinar que o Tockers é um nome muito mais forte do que o do YoDa, que estava cotado para ser o titular na rota do meio. Robo e Nappon fizeram, durante a pré temporada, um bootcamp de três meses na Coreia e acabaram sendo dispensados da Keyd Stars.

A botlane brTT e Dioud pode ser considerada a melhor do circuito. Ambos são jogadores decisivos e com muito conhecimento de LoL. O brTT amargou a reserva no split passado pela PaiN e agora vem com o sangue nos olhos para essa etapa. A experiência de Robo-Nappon na Coréia será decisivo para a matilha.

A Red Canids brigará pelo título do primeiro split de 2017.

Escalação: Robo (topo), Nappon (caçador), Tockers (meio), brTT (atirador), Dioud (suporte) e Fayan (técnico).

Análises CBLoL

Essa é uma série de análises do R7 Jogos sobre as principais apostas para o Circuito Brasileiro de League of Legends. Confira as análises dos oito times que farão parte da divisão de elite do mais famoso campeonato de e-Sports do Brasil.

Remo Brave e Operation Kino

CNB e KaBuM! e-Sports

INTZ e Keyd Stars - 21/01

*Lucas Bigorna